domingo, 13 de maio de 2012

Arjen A. Lucassen: Guiado Pela Criatividade


Que este mutli-instrumentista e compositor holandês, fã de Alice Cooper, Bowie, óperas Rock e filmes de ficção, é um verdadeiro gênio na sua arte e não tem medo de ousar, não temos dúvida. Sua criatividade não tem limites, e somos gratos por isso, pois cada lançamento seu é sinônimo de qualidade e diversidade,  com Arjen nos proporcionando verdadeiras e prazerosas viagens musicais.

Após seus últimos trabalhos, o projeto Guilt Machine ("On This Perfect Day", de 2009) e o segundo álbum do Star One ("Victims of the Modern Age", de 2010), Arjen, como havia anunciado, começou a trabalhar no seu solo, lançado no mês passado, trazendo o título de "Lost In The New Real". Apresenta a história de Mr. L, um sujeito que é portador de uma doença grave em estado terminal, e é congelado com a esperança de no futuro quando encontrada a cura fosse descongelado.


Pois bem, isso acontece e o personagem é acordado num futuro distante, e a história gira em torno dessa situação, de alguém se ver, de repente, numa realidade onde já ocorreram inúmeras mudanças e avanços, e esse personagem ter de tentar se adaptar e assimilar toda essa nova realidade e a quantidade de novas informações, e também levanta as questões de como encontraríamos o mundo num futuro distante, como os atuais problemas da humanidade teriam sido tratados? Se foram resolvidos? De que forma? Quem já não divagou sobre isso?

Imagine se alguém fosse congelado nos anos 40 e fosse acordado agora? Seria uma situação semelhante, se alguém de nosso tempo fosse congelado e fosse acordado, digamos, 50 anos depois!
A principal característica do álbum é a diversidade musical e o bom humor, se bem que também existem questões e situações sérias (ou nem tanto...como o próprio Arjen comenta nos créditos).


A capa, criada pelo artista Claudio Bergamin remete aos cartazes de filmes antigos de ficção, e é, seguindo o conceito do trabalho, bem humorada, trazendo inscrições do tipo "In Stereo", "Totalvision-Treknicolor" (o Trek, provável referência à Star Trek), além da chamada: "Um homem revivido num futuro, onde todas as questões seriam respondidas. Exceto uma...". Note também a referência ao "Dream Sequencer", que aparece ao fundo. Veja vídeo abaixo, com Arjen falando sobre a arte.


Sobre a história, não vou comentar mais nada para não estragar as surpresas e se passar pelo cara chato que conta o fim do filme não ficaria legal!!!!

Antes de falar mais sobre as músicas, vale destacar a presença do ator Rutger Hauer (Blade Runner, A Morte Pede Carona), que faz as vozes do personagem Voight Kampff, psiquiatra que é designado a acompanhar Mr. L. para que se adapte a nova realidade. Arjen é fã confesso do ator e "Blade Runner" é o seu filme favorito.

Neste álbum, Arjen não conta com vários convidados, como no Ayreon ou Star One, tocando praticamente todos os instrumentos e fazendo os vocais em todas as músicas.

A exemplo do que já fez em outros trabalhos, a música é como uma trilha sonora para a história contida em "Lost In The New Real", e Arjen passeia pelo Progressivo, Metal, Classic Rock e Folk, entre outros elementos, e, para todos que conhecem o trabalho do gigante holandês, sabe que a qualidade é impressionante, sendo praticamente impossível apontar destaques ou tentar comentar aqui todas as músicas, além do que o álbum é duplo, sendo que no CD 1 se desenrola a história, e no CD 2 temos alguns covers, que tem alguma relação com o conceito do disco, trazendo a marca registrada de Arjen, que sempre tenta deixar as versões com sua personalidade, não simplesmente reproduzindo, e outras músicas que não foram colocadas na cronologia do CD 1, mas fazem parte do contexto.


Cito aqui algumas que elegi como minhas favoritas nas primeiras audições, "Pink Beatles in a Purple Zeppelin", com um ar psicodélico, refrão e melodia irresistíveis, essa pega de imediato, além da bem humorada letra e o título, que, provavelmente, faz referência a algumas das bandas preferidas de Arjen; "E-Police", que remete ao "Big Brother", do livro "1984" de George Orwell, pois nesse futuro, as pessoas são vigiadas 24 horas por dia e esta também possui melodias de fácil assimilação; "Where Pigs Fly" e "Dr Slumber's Eternity Home", também letras bem humoradas, sonoridades Prog e Folk, em melodias cativantes e um clima leve, aliás, intencionalmente o trabalho tem uma roupagem menos "dark" que os anteriores, mas, é claro, possui músicas mais pesadas e com letras mais sérias, tratando sobre questões de como seria esse futuro, como o descuido da humanidade com a natureza nos afetaria, mudanças em costumes e quebra de tabus.

Destaco então, mais duas faixas, que, acredito, ajudam a você sentir o que vai encontrar:  a  abertura "The New Real", quando o personagem é acordado, vem coberta por uma sonoridade prog/espacial, com grandes e cativantes melodias e os 10:19 minutos de "Lost in the New Real", uma verdadeira viagem musical.


Com relação as covers no CD 2, como já comentei, elas trazem alguma relação com o conceito do álbum, e são músicas de bandas que influenciaram Arjen e ficaram muito boas, como "Welcome to the Machine", do Pink Floyd, e "Battle of Evermore", do Zeppelin.

O álbum já está disponível, foi lançado na Europa em 23 de abril e 8 de maio nos EUA, e pode ser adquirido pelo site oficial de Arjen, estando disponível em versões em Digibook, versões em vinil colorido, trazendo os 02 CDs também, sendo que os discos contém faixas em CD Rom como bônus, contendo mais informações bem interessantes sobre o trabalho. Todas as edições muito bem cuidadas e com fantástico trabalho de arte. (ACESSE AQUI A LOJA VIRTUAL, vale lembrar que você pode adquirir as cópias autografadas pelo artista).


Puro deleite para os ouvidos e para a mente. Um trabalho excelente e bem cuidado em todos os aspectos, e Arjen, com seu feeling e criatividade, faz parecer que é tão fácil fazer música de qualidade, preocupando-se com a arte e seguindo seu instinto, não em lançar um produto qualquer somente para satisfazer algum contrato. Tem gente que reclama que não lança CDs porque é um produto condenado, mas, meu amigo, faça música de qualidade que o retorno vem. Para ser adquirido sem pensar duas vezes. Boa viagem!!!

Texto: Carlos Garcia
Revisão: Voight Kampff Silva
Fotos: Divulgação


Ficha Técnica
Banda/Artista: Arjen Anthony Lucassen
Álbum: Lost In The New Real
Ano: 2012
Tipo: Ópera Rock, Progressive Metal... and more
País: Holanda
Selo: InsideOut


Arjen Lucassen as “Mr. L: Vocals, instruments, music, lyrics
Rutger Hauer as “Dr. Voight-Kampff”: Narration
Wilmer Waarbroek: backing vocals
Ed Warby: drums
Rob Snijders: drums
Ben Mathot: violin
Maaike Peterse: cello
Jeroen Goossens: flute
Elvya Dulcimer: Hammered dulcimer on “Battle of Evermore”                           


                                                                  Trailer do álbum




Tracklist
CD1

01] The New Real
02] Pink Beatles In A Purple Zeppelin
03] Parental Procreation Permit
04] When I’m A Hundred Sixty-Four
05] E-Police
06] Don’t Switch Me Off
07] Dr Slumber’s Eternity Home
08] Yellowstone Memorial Day
09] Where Pigs Fly
10] Lost In The New Real
* Bonus CD Rom section: “Behind The New Real”
CD 2
01] Our Imperfect Race
02] Welcome To The Machine (Pink Floyd cover)
03] So Is There No God?
04] Veteran Of The Psychic Wars (Blue Oyster Cult Cover)
05] The Social Recluse
06] Battle Of Evermore (Led Zeppelin Cover)
07] The Space Hotel
08] Some Other Time (Alan Parsons Project Cover)
09] You Have Entered The Reality Zone
10] I’m The Slime (Frank Zappa Cover)
* Bonus CD Rom section: “The Artwork”


SITE OFICIAL
                                       Arjen fala sobre o conceito do álbum.





Um comentário:

Cris Jones disse...

Arjen é realmente um gênio!!!!Não existe uma música ruim em seus projetos!