sábado, 2 de agosto de 2008

O retorno da criança vil!

O ano era 1998, a banda era Iced Earth, o vocalista era Matthew Barlow: que combinação esses elementos levam? Ao clássico álbum da banda e um dos melhores discos do Metal: “Something Wicked This Way Comes”.
Mesmo com o sucesso já alcançado pela banda, após o disco seguinte, “Horror Show”, o vocalista sai da banda para estudar direito e torna-se policial. É o fim da parceria fantástica. Porém, 9 anos depois saio primeiro disco de uma trilogia, “Framing Armaggedon – Something Wicked part I”, com o então substituto de Barlow, Tim Owens (ex-Judas Priest, Beyond Fear).
Embora com o sucesso do disco, o vocalista é despedido e de forma indigna, segundo ele, já que Schaffer despediu-o por email (?) para a volta de Barlow. Com isso, lançam o single “I Walk Among You” (2008) (vide matéria abaixo) com a ótima e inédita “I Walk Alone”, que vem apresentar essa volta e dar uma idéia do que poderíamos esperar no novo disco.
Como parte segunda dessa trilogia, “The Crucible Man – Something Wicked Part II” pretende ser lançado no início do mês de setembro nos EUA, Europa, Reino Unido e Austrália. Mas com a internet disseminada, já é possível escutar o álbum novo.
Iced Earth é uma das minhas bandas preferidas, e mesmo pensando que a banda estava perdendo criatividade e peso, acompanhava a banda e a defendia sempre que achava necessário. Agora vem a recompensa: com a volta de Barlow, “The Crucible Man” pode ser o disco que trará velhos “fãs” de volta e conquistará novos.
Muitas pessoas que ouviram o álbum comentaram que não acharam nada de mais, que esperavam mais devido à nova fase da banda, etc. Para mim, a banda esta traçando um caminho evolutivo mesmo. Não resolveu, só pela volta do vocalista e pela temática e título remontarem a 1998, fazer um som igual ao do clássico já citado.
Assim, nesse álbum, a banda traz um som pesado com os “galopes” das guitarras de Schaffer, a bateria indo na levada dos últimos discos, rápida e pesada. Os vocais lembrando bastante a época do disco “Horror Show” (2001), trazem um Barlow mais melódico, mas ainda com seu inconfundível vocal, caprichando em refrões com backing vocals interessantes. De uma forma geral, literalmente o álbum é uma continuação de seu antecessor, o que para mim não deixa nada a desejar.
Destaco principalmente “I Walk Alone”, a introdução do disco seguida de “Behold the Wicked Child” (pesada e dando uma idéia do que encontraremos), a “balada” “A Gift or a Curse”, um dos maiores destaques (calminha no inicio e pesada pro final, lembrando a “Drácula”, de 2001). Além dessas, “Harbinger of Fate” traz um coral muito empolgante; “Sacrificial Kingdoms” detona com um dueto vocal e refrão grudento (sem falar na galopada das guitarras). “Divide and Devour” quebra tudo, grande destaque do disco. Simplesmente perfeita: rápida, pesada e com ótimo refrão. “Come What May” fecha o disco (já que a última é instrumental e traz a atmosfera do tema) muito bem, nos fazendo já esperar pelo desfecho da trilogia.
Enfim, não escutei nenhuma música que possa chamar de ruim, talvez a mais fraca seja “Minions of the Watch”, mas que não tira o brilho álbum.
Este álbum prova que o Iced Earth, mesmo com a volta do grande Matthew Barlow, está trilhando um caminho novo, não querendo “regravar” os antigos álbuns, fazendo uma cópia (o que muita gente esperava): Iced Earth está seguindo seu caminho profano, já que a criança vil retornou.

Stay on the Road
Texto: EddieHead


http://rs300.rapidshare.com/files/132396578/ice.ear.-t.c.o.m.rar

http://www.4shared.com/file/56770543/2e4103d6/Iced_Earth_-_The_Crucible_of_Man.html?err=no-sess (em rmw) (fonte site http://universodometal.blogspot.com/)

The Crucible Man - Something Wicked Part II:




Set List


01. In Sacred Flames02. Behold The Wicked Child03. Minions Of The Watch04. The Revealing05. A Gift Or A Curse06. Crown Of The Fallen07. The Dimensional Gauntlet08. I Walk Alone09. Harbinger Of Fate10. Crucify The King11. Sacrificial Kingdoms11. Something Wicked (Part 3)12. Divide And Devour14. Come What May15. Epilogue

2 comentários:

mano disse...

Com uma capa desta é muito dificíl esperar por musicas diferentes da era clássica do Iced, estou na espectativa. Sohhh!

EddieHead disse...

Opa. Valew ae mano por postar.
É, a capa tá bem mais no estilo dos antigos discos, já que as as últimas parecem ter sido feitas em computadores (para parecerem isso mesmo).
Falow