terça-feira, 6 de outubro de 2009

The Gathering: Uma Biografia Trilhas Diversas




A banda holandesa The Gathering já tem uma história que merece ser contada dentro do Rock e, por quê não, do Metal. Embora muitas pessoas não curtam, é uma banda que se caracterizou bastante com o vocal de Anneke van Giersbergen, que ao contrário da maioria das bandas que classificadas como Ghotic Metal, Doom Metal, etc., trilhou caminhos diferentes, não se apropriando de vocais líricos, embora a melodia e certa nostalgia seja muito presente.

Porém, quando a banda iniciou sua trajetória em 1989, com a criação da banda pelos irmãos Hans e René Rutten, eles tinham como vocalista um homem, Bart Smits, que gravaram a demo “An Imaginary Symphony” em 1990 (inclusive abrindo para grandes nomes como Morbid Angel e Death), depois o disco de estréia “Always...”, que como a banda mesmo diz, ficou entre o Gothic e Doom, a banda teve problemas na área empresarial.

Porém, em 1994 lançam o novo disco “Almost a Dance”, agora já com a jovem vocalista Anneke que iria se consagrar na banda, sendo uma das grandes referências do cenário. Segundo o site da banda, ela se destacou de inicio pelo seu estilo vocal treinado no clássico e no jazz e com esse disco abriu-se novas perspectivas e portas para a banda.

Então, lançam no ano seguinte o “Mandylion” (1995), que traz uma atmosfera que iria caracterizar muito a banda: a densidade do som. Em 1997 lançam “Nighttime Birds” e fazem sua maior turnê até então pela Europa. Também os Estados Unidos recebem a banda em uma longa turnê.

Em 2000, saem o ao vivo “Superheat” e o inédito “If Then Else”, este sendo um dos meus favoritos da banda. Dois anos depois, novo lançamento, agora em formato minicd, “The Black Light District”, serviu como preparo para o novo disco completo “Souvenirs” (2003) que, para a banda, foi um divisor de águas na sua carreira.

No mesmo ano lançam mais um ao vivo “Sleepy Buildings” (2003), com o diferencial deste ser semi-acústico, trazendo canções de toda carreira nesse formato. Ótimo disco.

Em 2004, Marjolein Kooijman entra como novo baixista da banda, ao mesmo tempo que Anneke se prepara para ser mãe. No ano seguinte, apenas uma apresentação em Amsterdã foi gravada para ser lançada no DVD “A Sound Relief” (2005). Até esse momento a banda não havia feito gravações ao vivo em video, e ganham prêmio Edison Award pelo DVD em 2006.

“Home”(2006) sai nesse mesmo ano e é o disco mais Rock da banda, melancólico e leve, o que conseguiu trazer mais fãs para a banda. É um ótimo disco, desaconselhável aos mais depressivos (brincadeira, claro, mas trata-se de um álbum bastante nostálgico). É na turnê desse disco que partem pela primeira vez para a América do Sul.

No ano de 2007, o segundo DVD oficial “A Noise Severe” (gravado em Santiago do Chile na última turnê) marcou a despedida de Anneke da banda, já que ela decide se dedicar mais à família e objetivos pessoais. Óbviamente uma notícia que pegou os fãs de surpresa, afinal, o relacionamento entre os músicos da banda sempre pareceu estável.

A banda parte em busca de nova vocalista (decidem que manterão vocais femininos nas canções). Depois de bastante expectativas, o nome de Silje Wergerland é anunciada e, poucas semanas depois, o EP “City From Above” (2009) sai e, até onde pude perceber, teve uma boa aceitação dos fãs.

Claro que sempre haverá aqueles que não aceitarão a saída da antiga vocalista, mas para os que sabem apreciar a banda, conseguem identificar que ainda é o The Gathering, apenas com uma vocalista diferente e tão competente quanto a anterior.

O som da banda continuou seguindo aquele Rock alternativo, gótico, que a banda se consagrou.

Neste mesmo ano, o primeiro disco nessa nova fase sai. Com o nome de “The West Pole” (2009) (em breve resenha deste álbum), é uma versão “expandida” do EP que já havia apresentado a nova vocalista. Também sem muitas novidades. Para os fãs da banda, um material inédito apóes dois anos de expectativa e que, em termos gerais, não está desapontando a galera.

The Gathering segue seu caminho, com uma sonoridade própria, bastante original, agradando desde fãs de Rock Gótico/Alternativo, até fãs de Metal. Não é por pouca coisa que mereceu um espaço privilegiado no Road to Metal.

Stay on the Road

Texto: EddieHead

Fontes para consulta: http://www.gathering.nl/

Formação atual

Silje Wergerland (vocal)
René Rutten (guitarra)
Marjolein Kooijman (baixo)
Hans Rutten (bateria)
Frank Boeijen (teclado)

3 comentários:

Carlos Caco Garcia disse...

Parabéns pelo blog, muito bons artigos, informações e downloads!você simplesmente não joga os downloads ali, recheia tudo como se fosse web zine!muito legal!!!
colaborei por anos em zines, web zines e rádios, pena que falte tempo agora!continue firme!

Folha disse...

Ótimo texto de qualidade indiscutivel, sua opnião é franca e passa conhecimento pelo oque escreveu.
Você escreveu informações da banda (do qual tambem sou fã) que eu desconhecia.
Parabens, a partir de hoje voltarei sempre.
Boa Sorte

Eduardo disse...

Muito obrigado pelos elogios. fico muito feliz que tenham gostado, sobretudo ao ponto de tecer tão gratificantes elogios.

Esse é o reconhecimento que a gente, ao escrever, busca. Muito obrigado