terça-feira, 1 de março de 2011

Clássicos Brasil: “I.N.R.I.” (Sarcófago) - Os Pioneiros do Metal Negro no País

Uma das três capas do álbum

Satyricon, Impaled Nazarene, Belphegor, Dark Funeral, Força Macabra. O que esses nomes tem em comum? Simples. Uma total devoção a Sarcófago, mais principalmente ao álbum “I.N.R.I.” que é uma obra prima do Black Metal Mundial e, para muitos, o pioneiro da obscuridade.

Essa questão gera um debate apimentado nos fóruns de Metal, já que muitos afirmam que o Sarcófago foi a primeira banda de Black Metal, e os verdadeiros herdeiros do Venom. Entretanto, vale lembrar que esse clássico da banda foi lançada em 1987, por outro lado, o primeiro álbum do Mayhem é de 1984. Um ano depois é que o Sarcófago gravava duas músicas para a coletânea “Warfare Noise”.

Polêmicas a parte, o mais importante é destacar que esse foi o ápice do Metal Extremo nacional e se hoje Krisiun, Rebelliun, Drowned, entre outras, tem destaque lá fora, foi o Sarcófago que abriu essas portas.

A banda no auge nos anos 80

Porém, antes de comentar as faixas, vale lembrar a temática e o visual da banda nessa época: afinal de contas, nunca uma banda tinha alcançado um nível tão grande de blasfêmia e de visual tão carregado de ideias vindas principalmente de Antichrist que assumia os vocais, além de Butcher na guitarra, Incubus no baixo e D.D. Crazy na bateria.

Sua sonoridade era inovadora para a época, com guitarras pesadas, sujas e rápidas, assim como um estilo de tocar a bateria, conhecido como Blast Beat, pouco usado na época. Bandas como o Napalm Death e Fear of God já usavam a técnica de forma agressiva. O visual também fazia parte do contexto, brutal e chocante, como demonstram as fotos de seu primeiro álbum em estúdio, feitas em um cemitério, usando enormes braceletes de pregos, cintos de bala de fuzil e a pintura facial conhecida algum tempo depois como corpse paint.

O vocalista e guitarrista Antichrist, o pseudônimo de Wagner Lamounier, fez parte da primeira formação da banda Sepultura e escreveu em parceria com Max Cavalera a música “Antichrist” que foi inserido no EP “Bestial Devastation”. Vale a titulo de curiosidade, conferir a contra capa dos CDs para ver a semelhança de visual das duas bandas nos seus primórdios.

Agora o álbum em si. Ele abre com a clássica “Satanic Lust”. Não tem muito o que se dizer. Quem ouve Black Metal conhece essa música de cor: bateria ultra rápida, solos não tão audíveis mas lembrando muito Venom e os vocais com grandes variações. Ótimo inicio.

“Desecration of Virgin”: tem uma veia bem Punk, seja pela sua duração ou pela sua velocidade e que tem uma letra até cômica (dependendo do seu ponto de vista, é claro) http://letras.terra.com.br/sarcofago/191725/traducao.html

“Nightmare” é outro clássico. Essa simplesmente é um hino sem palavras.

“I.N.R.I.”, música de 2 minutos feita simplesmente para quebrar pescoços e a letra mais uma vez mostra o que é ser satanista. Impossível deixar de gritar o refrão final da música.

“Christ´s Death” no começo pode até assustar, mas isso é Black Metal (porra!): bateria na frente de tudo e bases um pouco mais trabalhadas, o que seria forte nos próximos lançamentos dos caras.

“Satanás”, uma das músicas que Antichrist canta mais rápido e tem que ficar atento, porque ele vomita uma letra mais blasfêmia que boa parte dos CDs do Deicide.

“Ready to Fuck” é mais uma música ao padrão Sarcófago. Mas ouça a virada a partir do 1:52 minutos da música e veja se essa passagem não inspirou 9 entre 10 bandas de Black Metal.

“Deathrash”, o nome já diz tudo, uma das mais rápidas músicas do CD mostra um crossover perfeito entre os estilos, ela passa rápido igual um tornado e destrói tudo em volta.


Pioneiros do Black Metal brasileiro em foto promocional

“The Last Slaughter”. Se você ouvir desatento essa faixa vai pensar que ela é do clássico “Black Metal” do Venom, mas ao final uma surpresa. Ouça e descubra, rs.

“The Black Vomit” finaliza essa obra prima, mais uma vez Anticrist dá show nos vocais, sendo ele uma grande influência para Max, ex-companheiro de Sepultura e hoje rivais ferrados. Repare também no grito meio Tom Ayala (Slayer) perto do final da faixa, outro clássico absoluto, sem dúvida.

Enfim, é isso Banger. É triste saber que hoje a banda vive apenas na memória dos fãs, já que atualmente, Wagner Lamounier é professor de ciências econômicas na UFMG. Outro integrante importante desde a sua primeira formação, é Geraldo Minelli, baixista e compositor da banda, quase dedica ao ramo de fiscalização sanitária, sendo batizado na Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Em todo o cenário do Metal extremo mundial, o Sarcófago ocupa uma posição privilegiada, graças à sua trajetória de álbuns "fiéis" ao estilo que se propunha.

Texto: Harley

Revisão do texto: EddieHead

Fotos: Divulgação

Tracklist

  1. Satanic Lust
  2. Deserration of Virgin
  3. Nightmare
  4. I.N.R.I.
  5. Christ´s Death
  6. Satanas
  7. Ready to Fuck
  8. Deathrash
  9. The Last Slaughter
  10. Recrucify - The Black Vomit

Um comentário:

fabio henrique disse...

Ótimo texto,cara \,,/ Mas gostaria de lembrar que o primeiro álbum do mayhem foi lançado em 1987, em 1984 foi o ano em que a mesma foi formada