domingo, 6 de fevereiro de 2011

A Tout Le Monde: Uma Música Amaldiçoada do Megadeth?


“Não me lembro onde eu estava

Eu percebi que a vida era um jogo

Quanto mais sério eu entendi as coisas

Mais difícil as regras se tornaram


Eu não tinha ideia do que isso custaria

Minha vida passou diante de meus olhos

Descobri o quão pouco eu realizei

Todos os meus planos negaram


Então enquanto estiverem lendo isso, saibam meus amigos

Que eu adoraria ficar com todos vocês

Por favor sorriam quando pensarem em mim

Meu corpo se foi, isso é tudo”.


Hail bangers. Meio melancólico esse versos, não? Pois bem, eles são o inicio de uma das mais belas músicas do grupo do Dave Mustaine, faixa essa presente no álbum “Youthanasia” de 1994, muito conhecida pelos fãs e público em geral, tanto é que ficou um ano inteiro nos hits parades das rádios norte americanas. O que pouca gente sabe é da história por trás dessa faixa. Então vamos lá.

Mesmo não sendo esse o tema da música, muitas pessoas associam a mesma a incitações ao suicídio. O curioso é que o próprio Dave afirma que a mensagem não é essa e músicas que realmente falam de suicido como “In My Darkest Hour” do álbum “So Far, So Good... So What?’’, de 88, não causaram tanta polêmica.

O fato é que na década de 90 alguns jovens na Austrália e nos Estados Unidos cometeram suicídio e os mesmos eram fãs de Megadeth. Era época do lançamento do álbum Youthanasia (1994). Ai uma coisa leva a outra, e pronto: lá foi a mídia jogar a culpa dos males do mundo no nosso adorado Metal.

A repercussão foi tão grande que a MTV acabou retirando o clip do ar, muitas rádios pararam de tocá-la e a paranóia rolou até no Brasil: qualquer site de buscas se você escrever Megadeth e suicido está lá a citação da música.

Youthanasia: Polêmico até na capa

Já que o assunto é Megadeth, vale citar também um caso abaixo:

Em 28 de setembro de 2004, às 7h30, Rafael "Junior" S., de 15 anos, entrou em sua classe na escola Islas Malvinas, em Carmen de Patagones, província de Buenos Aires, e disparou uma pistola Browning 9 milímetros contra seus colegas. O saldo da tragédia escolar foi de três mortos e cinco feridos, dois deles com gravidade. Tudo aconteceu em menos de dois minutos.

Pois é, o quarto do guri era enfeitado por pôsteres do Megadeth. Além disso, o perturbado tinha partes da “A Toute Le Monde” no seu blog pessoal e afirmava que essa era uma grande inspiração. Pronto! Já foram ressuscitar a polêmica que, claro, não é exclusividade do Megadeth, já que o Judas Priest e principalmente Ozzy Osbourne já foram processados pela mesma acusação.

Mustaine em um show no Canadá comentou esse caso: “Aquele cara não merecia ser fã do Megadeth”.

Parte traseira do CD. Polêmica?

Mas voltando para a música, a história não para por ai. Dave, depois de sua conversão para o Cristianismo, pensava que a música era muito boa e merecia uma segunda chance. Por isso mesmo que você pode encontrar uma nova versão no álbum ”United Abominations” de 2007, com a participação da suculenta Cristina Scabbia, do Lacuna Coil. Na minha modesta opinião, a versão original é muito melhor, mas vale escutar bem alto não apenas essa versão como todo o ótimo disco.

Então é isso bangers. Despeço-me ao som de “Mecanix” do álbum de estréia do Megadeth que tem também uma história bem legal, mas isso é assunto para depois...

Texto: Harley

Revisão do Texto: Mr. Gomelli

Fotos: Divulgação

Confira o vídeo clipe da música em 1994

http://www.youtube.com/watch?v=aU-dKoFZT0A&feature=related

Veja a releitura realizada em 2007

http://www.youtube.com/watch?v=Xn01nSG4cvU

Um comentário:

Anônimo disse...

Muito bom...