domingo, 9 de dezembro de 2012

Cris Delyra: Para Salvar o Rock Nacional

Do Rio de Janeiro, um grupo para salvar o Rock Nacional


Oriundo do Rio de Janeiro/RJ, Cris Delyra é um proeminente guitarrista da cena carioca que, ao lado dos companheiros Gustavo Cebrian (baixo) e Alex Curi (bateria), oferece-nos seu primeiro solo auto-intitulado “Cris Delyra” (2012).

Como um trabalho solo, Delyra compôs todas as 11 faixas que compõem este disco que tem base fincada no Hard Rock oitentista, com bastante toques do Rock Nacional (que naquela década estava no seu auge), mas não esquece de colocar peso e energia do Heavy Metal tradicional, tudo com letras em português cantadas pelo próprio guitarrista que, não à toa, chega a lembrar Cazuza (inclusive possui vídeo oficial para “O Tempo Não Pára”).

Antes da carreira solo, Cris tocou na banda Rizoma

Gravado no antigo home-studio de Dalyra, o guitarrista/vocalista traz letras inteligentes, que ora brincam com a flexibilidade da língua portuguesa, ora são diretas críticas à atual sociedade, como em “Fotocópia” e “Mentes Programadas”.

Hard Rock de qualidade, com variações nas canções, mostrando a preocupação de promover ótimas composições, sem muita firula (os solos são diretos e curtos, sem malabarismos desnecessários), bem como a dupla que acompanha na cozinha do disco fez um trabalho digno de elogios.

Canções como “Qual É Seu Nome?”, que abre o disco de forma intensa e pesada (quem sabe a melhor do disco), “Máquina do Tempo” e “O Selvagem Urbano” são canções de fácil assimilação, muito bem gravadas, com presença na medida certa de teclados, também de responsabilidade do guitarrista. “Essa É Pra Você” também é uma das melhores, com muita energia e feeling.

Há espaço para canções calmas, as ditas baladas, como “Errar é Acertar”, (que explode em certo momento e traz solo inspiradíssimo de guitarra), e “Se Um Dia Eu Me Perdoar”, que fecha o álbum, numa ótima interpretação vocálica de Delyra, que contou com piano de Gabriel Damasso.

Trio está em divulgaçãi do trabalho

Vale tecer comentários sobre a arte do álbum. Que capa rica em detalhes. Um trabalho primoroso de Celso Mathias, que criou um verdadeiro pandemônio Rock & Roll na capa, como as grandes capas dos anos 70 e 80 do Rock mundial, além do encarte, mais simples,  mas contendo as letras e informações técnicas necessárias.

Um começo promissor em estúdio. “Cris Delyra” é um disco de fácil acesso e assimilação, o que faz com que as canções do trio agrade os mais exigentes dos “rockers” e headbangers, mas pode tranquilamente abarcar admiração vinda de pessoas que não estão habituadas ao gênero e que alegam que não ouvem Hard/Heavy por não entenderem as letras. Agora, não há desculpa. Corre ouvir. Você não se arrependerá.

Texto e edição: Eduardo Cadore
Revisão: Renato Sanson
Fotos: Divulgação

Ficha Técnica
Banda: Cris Delyra
Álbum: Cris Delyra
Ano: 2012 
País: Brasil
Tipo: Hard/Heavy Metal
Selo: Independente

Formação
Cris Delyra (Vocal, Guitarra, Teclados, Violão, Programação)
Gustavo Cebrian (Baixo)
Alex Curi (Bateria)



Tracklist
01 – Qual É Seu Nome?
02 – Máquina do Tempo
03 – Fotocópia
04 – O Selvagem Urbano
05 – Essa é Pra Você
06 – Nada a Perder
07 – Errar é Acertar
08 – Síndrome de Peter Pan
09 – Um Encontro com a Sorte
10 – Mentes Programadas
11 – Se Um Dia Eu Me Perdoar 

Acesse e conheça mais sobre o artista

Contatos profissionais: contato@bonusartistica.com.br 

Assista alguns vídeos do trio

""O Tempo Não Pára" (Cazuza)

"Fotocópia"

"Errar é Acertar"

8 comentários:

Cris DeLyra disse...

Muito obrigado pela belíssima resenha, Eduardo Cadore!!! É muito motivador ler palavras como estas!! Um abraço para você e para o blog "Road to Metal"!!!

Marcos Mundim disse...

Um dos melhores albuns dos últimos tempos mundialmente! O tripé qualidade de gravação, de músicas e de letras são irretocáveis!

Long live rock n roll!!!

Abs,
Marcos Mundim.

Anabella disse...

Acho que essa resenha sintetiza bem o que o trabalho do Cris DeLyra quer alcançar e sua capacidade, no momento não vejo nada parecido no mercado, tudo de primeiríssima qualidade. Sou fã e desejo que esse trabalho alcance muitas pessoas. Viva o Rock Nacional.
Abraços!

alain disse...

sabe qdo o cara é seu amigo mas vc nao gosta do som q ele faz? e vc se sente na obrigaçao de comparecer no show só pq ele é seu amigo?
entao.. com cris delyra acontece justamente o oposto: crico é meu gde amigo e me amarro mto no som dele!
q sorte q eu dei!
do amigo e fã, alain

alain disse...

a resenha está de primeirissima qualidade. parabens ao autor

Mari disse...

Tenho um cd, assisti ao swow deles e comprei o cd, gosto mt de musica orquestrada e mandam mt bem, não há nada nacional parecido. Mt legal o Blog dar essa divulgada e mostrar que tem mt coisa boa por ai, falta o mercado descobrir e esses meninos mandam ver no cd e ao vivo, sou fã.

Vini disse...

De muita qualidade mesmo! Chama a atenção pela qualidade na guitarra, vocal, batera visceral e baixos marcantes! Ótima resenha resultado de um ótimo trabalho.

Ana disse...

Cris DeLyra é sem dúvida uma promessa para a salvação do Rock`n Roll nacional. Ouvi pela primeira vez e foi impossível não me apaixonar!